Complicações

Complicações: perfuração, pileflebite e trombose da drenagem venosa porta; abscesso hepático; e bacteriemia.

As complicações da apendicite estão relacionadas principalmente com perfuração, que ocorre em um terço das crianças e dos adultos jovens. Quase todas as crianças com menos de2 anos de idade possuem um apêndice perfurado por ocasião da operação, o mesmo acontecendo com 75% dos pacien¬tes com mais de 60 anos de idade.

• Os abscessos períapendiculares são comuns, porém podem localizar-se em qualquer área na cavidade abdominal.

• Os trajetos fistulosos podem aparecer entre o apêndice perfurado e as estruturas adjacentes, incluindo os intestinos delgado e grosso, a bexiga, a vagina ou a parede abdominal.

• A pileflebite (tromboflebite dos ramos intra-hepáticos da veia porta) e os abscessos hepáticos secundários podem ocorrer, pois o fluxo venoso proveniente do apêndice drena para a veia mesentérica superior.

• Peritonite difusa e septicemia são sequelas perigosas.

• A infecção da ferida é a complicação mais comum da apendicite aguda após uma cirurgia; ocorre em uma quarta parte dos pacientes com perfuração e em um terço daqueles que desenvolvem um abscesso periapendicular.

• Necrose da parede do apêndice (apendicite gangrenosa), com perfuração e subsequente peritonite generalizada.

• Envolvimento das alças intestinais adjacentes, causando perfuração do intestino delgado.

• A disseminação da infecção pelos ramos da veia porta pode atingir o fígado; antigamente esta era uma causa importante de abscessos portais piêmicos no fígado.